TERAPIA DE CASAL

Por Lucile de La Reberdière

Em https://www.annuaire-therapeutes.com/index-des-disciplines

Redigir um novo contrato amoroso

Como para uma terapia individual, a terapia de casal nasce do desejo de sair de um sofrimento. A vida em comum, a chegada duma criança, as disputas recorrentes, a falta de comunicação, os bloqueios sexuais ou a infidelidade podem gerar feridas, não ditos, frustração e criar condições duma crise profunda que desequilibra a relação.

Quando o conflito cobre e gangrena o quotidiano, os elementos do casal têm dificuldade em encontrar uma solução. Uma terapia de casal pode surgir como útil para libertar palavras, fazer sair de um sistema de acusações recíprocas e para lançar uma nova intenção comum.

Uma sessão: para quem e para quê?

Uma terapia de casal pode ser realizada a partir de diferentes problemáticas: quando uma separação se torna a única saída encarada pelos dois, quando há perda de desejo sexual, perante a vontade de viver outras relações amorosas, no caso de relações extra-conjugais, quando a saturação da vida parental impede cada um de ser si mesmo, quando o casal e a família estão em perigo por dependência de substâncias ou por violência, ou ainda para encontrar sentido a uma crise que se atravessa.

Um casal em que cada um está sempre a antecipar os passos em falso do outro torna-se cego aos lados positivos da relação. A comunicação torna-se uma armadilha e instala-se um impasse.

Sem nunca tomar partido, o terapeuta (que não é um sexólogo nem um conselheiro conjugal ou familiar), trabalha com o casal para desfazer o sofrimento de cada um, procurando tanto o que corre mal como o que corre bem. Objectivo: decifrar, nas queixas expressas, mesmo as menores ("nunca pões a tampa na pasta de dentes"), o funcionamento do casal, para identificar as suas capacidades e estabelecer as etapas do processo terapêutico.

A terapia de casal oferece um espaço de palavra para abordar os problemas que têm que deixar de o ser no quadro da intimidade. Aprende-se a traduzir por palavras e a ouvir mutuamente. As mulheres descobrem muitas vezes no seu companheiro uma profundidade emocional que não conheciam. Os homens compreendem a dor da sua companheira, escondida por trás das acusações. A verbalização e o apoio incondicional de uma terceira pessoa, o terapeuta, favorece a emergência duma nova colaboração, indispensável ao sucesso da terapia.

Algumas informações úteis sobre uma sessão

O terapeuta de casal pode utilizar diferentes métodos que também se encontram nas terapias individuais: a terapia analítica permitirá, entre outros, descobrir bloqueios profundos.

A terapia comportamental ajuda a modificar a atitude em certas situações. A Análise Sistémica ou Análise Transacional podem ser empregues. Os cônjuges devem participar ambos nas sessões e serão convidados, desde a primeira sessão, a formular as suas expectativas. A ideia é retirar as pessoas do sistema da queixa e da acusação para as tornar actores da terapia, com expressão clara das suas necessidades: "quero retomar a vida sexual"; "quero que falemos mais"; "quero que passemos mais tempo juntos com as crianças, etc.

As sessões podem organizar-se à volta duma questão que seja preciso trabalhar: um conflito, um acontecimento passado, um tema geral (a sexualidade, a implicação das famílias, etc.). O papel do terapeuta é ajudar aquele que propõe um tema a abordá-lo com o outro. E nos encontros, como complemento, pode propor jogos de representação de papéis, como simular uma disputa a partir do ponto de vista do outro. Pode também dar exercícios ao casal, como escrever uma definição do casal numa carta ou organizar encontros íntimos durante a semana. Convidando a olhar de forma diferente e nova para a situação, naturalmente diferente da que existiu no início da relação, a terapia de casal pode também conduzir a uma separação. Isso não deve ser considerado uma falhanço mas sim uma solução para que cada um fique melhor.

Uma terapia de casal é eficaz quando permite curtocicuitar os automatismos de acerto de contas e abre espaço à cooperação, através de um novo contrato amoroso. É acessível a todos os casais ao longo da vida.

Interações do Leitor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *