IRIDOLOGIA

Por Gary Laski

Em https://www.annuaire-therapeutes.com/index-des-disciplines

Iridologia: o que dizem os nossos olhos sobre nós

A iridologia é um método de diagnóstico utilizado pelos naturopatas – não um diagnóstico médico. Este consiste em analisar a íris, ou seja a parte colorida do olho, analisando as suas formas, de modo a descrever o estado de saúde profundo do paciente.

Os olhos sempre foram inspeccionados pelos médicos, mas foi no séc. XVII que o médico alemão Philippus Meyens começou a deduzir que estes reflectiam o estado de saúde do paciente. Ignatz von Paczely, um médico húngaro do séc. XIX, foi o pioneiro da disciplina.

Ao detectar uma mancha no olho de uma coruja que tinha partido a pata, e notando a mesma mancha no olho de um paciente sofrendo do mesmo mal, começou a estudar a possibilidade de o olho ser um espelho do corpo como da alma.

Desenhou assim um primeiro mapa da íris, atribuindo zonas de correspondência com os órgãos do corpo humano, assim como o faz a reflexologia plantar (na planta dos pés). Este trabalho foi continuado e detalhado nos anos 1950 por Bernard Jensen, naturopata e quiroprático americano.

A íris permite descrever o terreno do paciente, ou seja tanto o seu estado de saúde actual quanto as suas pré-disposições patológicas. O que a torna um instrumento de diagnóstico ideal em naturopatia.

Assim, o diagnóstico iridiológico permite antecipar os riscos do paciente e as forças sobre as quais este pode apoiar-se para ultrapassar eventuais doenças.

A íris fornece informações ao terapeuta pelo seu tónus, os sinais (cores, altos, covas, depósitos, manchas) e as suas divisões nas zonas cartografadas pelos mestres da disciplina. Hoje são não menos de 90. De acordo com a iridologia, existem três tipos de constituição: linfática, hematogénica e mista biliar.

Uma sessão: para quem e para quê?

A iridologia permite reforçar o terreno do paciente, e permite, portanto, uma prevenção de fundo. Permite restabelecer a saúde do paciente num contexto de longo prazo. Trata-se, no entanto, de um método delicado, que requer uma longa experiência do naturopata. Pode ser indicada para os pacientes cujos problemas de saúde não encontram uma explicação simples.

Algumas informações úteis sobre uma sessão com um iridólogo

Como se trata de perscrutar os olhos do paciente, o exame não tem nada de perigoso. Este efectua-se com um aparelho especializado que permite iluminar e inspeccionar o olho, assim como realizar fotografias, que podem ser interpretadas.

Por vezes alguns irodólogos debruçam-se também sobre a esclera, a parte branca do olho, é aquilo a que se chama esclerologia.

A partir do diagnóstico iridológico, e após ter conversado com o paciente sobre os seus hábitos e patologias, o naturopata estabelece uma avaliação e aconselha uma higiene de vida para que este reforce o seu terreno e a sua saúde.

Interações do Leitor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *