HARMONIZAÇÃO GLOBAL®

Adaptado de https://www.harmonisationglobale.com/

No original Harmonisation Globale®, (HG®).

A Harmonização Global, método criado pela Dr.ª Thérèse Quillé, é uma prática simples que permite restaurar a Harmonia em si mesmo e com o seu ambiente. Tomemos a definição de saúde da OMS (Organização Mundial de Saúde): “A Saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas uma ausência de doença ou enfermidade.”

Sofremos com diferentes problemas: dores, problemas digestivos, angústia, alergia, tendência para infecções, etc. E, por isso, consultamos médicos que, normalmente, nos prescrevem anti-dores (analgésicos) para nos aliviar; antibióticos para nos ajudar a defender contra infecções; anti-estamínicos para que reajamos menos ao nosso ambiente; ansiolíticos para diminuir as angústias… Mas estes tratamentos geralmente apenas têm um efeito suspensivo e muitas vezes incompleto. As recaídas e recidivas são frequentes.

Após a sua formação em medicina, e à medida que ia praticando e reencontrando os pacientes, a Dr.ª Thérèse Quillé tomou consciência de que as patologias físicas que se observam e se tratam não são mais do que o resultado de um desequilibro muito mais geral, pois reflectem o estado físico, psíquico, emocional, e também espiritual.

Tratando (ou mais exactamente, permitindo ao paciente que se trate a ele mesmo) os desequilíbrios espirituais, emocionais, psicológicos e/ou físicos, os problemas físicos e psíquicos regularizam-se ou são muito mais sensíveis às terapias empregues.

Tomemos o exemplo das alergias: o propósito inicial para um tratamento pode ser evitar o produto em causa e a toma de anti-histamínicos. Mas o problema estará sempre lá. Pelo contrário, a dessensibilização «clássica» permite tolerar de novo o produto em causa, mas ela exige muito tempo e nem sempre é coroada de sucesso.

A HG permite voltar a ser tolerante ao produto, deixar de ser alérgico em alguns minutos e sem fazer os tratamentos usuais.

No caso da ansiedade, o tratamento clássico consiste em tomar ansiolíticos, que vão aliviar o paciente, mas o problema não será resolvido. Um psicoterapeuta poderá permitir ao paciente compreender a origem das suas angústias, e ajudá-lo a libertar-se. Mas é um trabalho também moroso e nem sempre bem-sucedido.

A HG poderá, com o Teste de Resposta Muscular (TRM) ou Cinesiologia compreender rapidamente a origem do problema e permitir ao paciente tratar-se, em algumas sessões.

A atitude do paciente

A única condição indispensável à prática da HG é o pedido do paciente. Pode-se dizer a qualquer pessoa que pode ser auxiliada a desembaraçar-se da sua alergia, da sua fobia de andar de avião … Mas não se deve praticar HG com alguém a não ser que, informada das possibilidades da HG, peça para ser tratada.

Tratar alguém sem o seu pedido pode impedir a tomada de consciência do que causou ou favoreceu os seus problemas. A pessoa não terá alterações de atitude, e as crises posteriores podem ser mais violentas. Cabe ao paciente saber se deseja ser tratado, aliviado… ou não!

Quando o paciente se «sincroniza» com o alergénico ou com o pensamento perturbador, ele permite-lhes virem à superfície, o que frequentemente provoca uma sensação de fadiga, palpitações, e outros problemas neurovegetativos que podem durar alguns minutos, mas que podem nem se manifestar; alguns pacientes nada notam e, no entanto, pode-se observar melhorias dos sintomas após a consulta.

Tratamento com a Harmonização Global

Para as alergias e intolerâncias, quando a substância pode ser utilizada

O terapeuta mantém-se em estado de «presença» (neutro, ancorado como se tivesse raízes, religado à energia universal, centrado ao nível do seu «hara», e assim se mantendo), ligado energeticamente ao paciente e posicionando-se perto dele.

De seguida o paciente pega na substância de modo a criar um contacto vibratório, e mantém-se atento ao que sente: picadas, calor, frio …, por vezes surgem imagens do passado, indicando a origem da alergia/problema (neste caso o paciente deve, simplesmente, aceitar o acontecimento em causa, sem se ligar a ele, e deixá-lo partir, pois pertence ao passado). Se nada sente, não será por isso que o trabalho não foi feito.

Quando as sensações anormais desaparecem, quando o paciente, ou mesmo o terapeuta, se sente aliviado, é normalmente sinal de que o tratamento terminou.

Refaz-se o TRM para confirmar se é necessário repetir a Harmonização.

O paciente poderá então ficar em contacto com o produto sem manifestar sinais de intolerância

Nota: Existem pessoas intolerantes a certos medicamentos, suplementos, produtos fitoterápicos, fortificantes. Se um produto (ou vários) faz diminuir a força muscular durante o TRM, é necessário tratá-lo(s) pela HG. O paciente pode, de seguida, continuar a tomá-los sem sentir incómodo.

Pode-se refazer regularmente um TRM para verificar se o produto continua a ser bem tolerado e sobretudo se os sintomas não desapareceram. A fadiga, por exemplo, pode ter várias causas e é somente quando o conjunto dessas causas for tratado, que a fadiga desaparecerá. Assim, garantimos que não passamos ao lado de uma recidiva de intolerância ao produto, devido, por exemplo, a uma nova perturbação que recrie a intolerância ou alergia.

É certo que se se proceder a uma dessensibilização de um produto tóxico, como o mercúrio, não haverá manifestação alérgica, mas a toxicidade persistirá !

O método pode ser igualmente aplicado a alergias e intolerâncias sem a presença do produto; a sensibilidade a campos electromagnéticos (EMF) gerados por telemóveis, WI-FI e antenas de telecomunicações; a pensamentos tóxicos; a problemas físicos diversos como infecções virais, bacterianas, doenças auto-imunes como esclerose em placas, problemas hormonais, tendo em conta que muitos podem ter origem, serem agravados, ou mesmo terem recidivas por questões psíquicas.

Interações do Leitor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *