FOCUSING

Por Caroline Morel

Em https://www.annuaire-therapeutes.com/index-des-disciplines

Foco: reconecção com o corpo para resolver problemas 

O Foco é uma abordagem de psico-terapia que visa levar a pessoa a conectar-se com sensações para encontrar respostas para os problemas.

Centrado na pessoa, este método baseia-se no facto de apreendermos o mundo através do corpo, que possui informações sobre nós que não podem ser reveladas pela mente ou pela lógica. O corpo pode dizer-nos como vivemos as situações que enfrentamos, e o objectivo do foco é ensinar-nos a escutar o corpo e a relacionarmo-nos com nós mesmos, para descobrir essas informações.

Partindo da premissa de que temos a capacidade de saber o que é certo para a nossa própria evolução, o foco faz um zoom aos lugares que ressoam dentro de nós, para nos ajudar a encontrar os nossos próprios marcos internos, não através da verbalização, mas através da sensação do que está acontecendo em nós. Em resumo, para responder a uma determinada problemática, o foco abrirá uma porta para a linguagem do corpo da pessoa, ao mesmo tempo que ela esquece a mente e procura as respostas dentro de si.

Focar: para quem, para quê? 

O Foco é basicamente um método de apoio psico-terapêutico, mas pode ser usado em todas as práticas médico-psicossociais que estão relacionadas com a escuta e a qualidade relacional. Pode ser aplicado em muitas outras áreas, como educação, negócios e criatividade. É uma ferramenta eficaz do desenvolvimento pessoal que permite a cada um conhecer-se e aceitar-se melhor. Essa conexão consigo mesmo permite uma abordagem nova sobre os problemas que nos bloqueiam, os conflitos ou as dificuldades de cada um.

O Foco pode trazer uma sensação de serenidade, de deixar-se ir, e permitir um novo ânimo, a abertura aos outros ou a iniciar uma nova dinâmica com as pessoas que estão à nossa volta. Também é recomendado para pessoas que desejam reequilibrar as emoções e que estão em processos de mudança.

O Foco pode ser praticado por psico-terapeutas, mas também por profissionais da área do bem-estar (sofrologistas, coach, etc.).

Condução de uma sessão 

No início de uma sessão, a pessoa define o problema que deseja trabalhar. Segue-se um processo com as seguintes etapas:

  • Entrar em contacto com o corpo
  • Sentir o que está lá e descrever
  • Escutar o que a parte de si que sofre expressa

O paciente está confortavelmente sentado numa poltrona em frente ao terapeuta. Será estabelecido um diálogo entre o paciente e o terapeuta, como durante uma consulta de psico-terapia. As perguntas de um e as respostas do outro terão o efeito de criar sensações físicas (bola na barriga, sabor na boca, formigueiro, etc.).

Evocações de cores e imagens também podem acompanhar o diálogo. Durante essa troca, o terapeuta frequentemente convida o paciente a concentrar-se novamente no que sente. Ele procura acompanhar e ajudar o paciente a continuar essa procura interior, fazendo perguntas para as quais o paciente já traz as respostas.

Ao focar-se em si mesmo, o paciente pode finalmente sentir um desbloqueio físico. Essa reconexão com o corpo permitirá que ele avance na reflexão e encontre as respostas para os problemas que o levaram à consulta.

Interações do Leitor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *