EURITMIA TERAPÊUTICA

Fonte: http://www.sab.org.br/portal/medicinaeterapias/141-euritmia-terapêutica

(adaptação)

O que é Euritmia Terapêutica (*)

(O Boletim Informativo - 1998, São Paulo: Sociedade Médico-Terapêutica Clínica Tobias)

O movimento do organismo humano é algo de maravilhoso: pensemos nas inúmeras possibilidades que ele contém, que vão muito além do que é necessário para o nosso dia-a-dia. É o caso da performance desportiva e artística (o ballet e a dança, por exemplo). A enorme complexidade da nossa vida interior pode expressar-se através de movimentos.

A Antroposofia vê no organismo humano uma organização que possibilita a expressão da universalidade que há nos seus movimentos; ela existe porque nós próprios estamos organizados por eles. Quando falamos dessa organização para o movimento, obviamente pensamos nas suas mais detalhadas e mínimas características morfológicas e funcionais, em cada um dos tecidos e órgãos.

Inicialmente surpreendemo-nos ao perceber que a mais elevada expressão da complexa organização de movimentos é a fala, exclusiva do ser humano. Na fala reconhecemos o ser humano. Falamos porque temos essa organização de movimento; a fala é fruto do ar expirado através das vias respiratórias: pulmões, laringe faringe, cavidade nasal, lábios. O fluxo de ar é modelado graças aos finos movimentos que acontecem nesses espaços.

Os movimentos que realizamos com nossos membros, por mais perfeitos que sejam, são extremamente simples quando comparados com os subtis movimentos que acontecem nos órgãos da fala ao gerarmos os fonemas. Por isso dizemos aqui que a expressão máxima do movimento humano está nos movimentos geradores dos fonemas nos órgãos da fala.

Surge então uma pergunta: é possível movimentar o corpo de forma a imitar o que acontece na fala? Podemos conceber que nesse caso o movimento atingiria dimensões nunca antes imaginadas. Isso é possível expressando com movimentos do corpo e especialmente com os braços a forma do movimento do fluxo de ar no organismo fonador quando falamos.

Imaginemos que queremos expressar assim uma poesia que estamos a ouvir ler. Algo de maravilhoso resulta daí, e o nome dessa arte é Euritmia. Através da Euritmia, todo o corpo fala.

Claro, esses movimentos expressam o homem sadio, e quando executados trazem bem-estar e harmonia. Porém esses movimentos podem também ser forçados, ou levemente modificados para actuar no organismo humano em estados patológicos, com a intenção de transformá-los, curá-los, saná-los. Nesse caso falamos da Euritmia Terapêutica. O uso do movimento para o tratamento de diversas doenças posturais, neurológicas e musculares é bem conhecido pela medicina académica. A Euritmia Terapêutica é usada nestes casos e noutras patologias orgânicas ou psiquiátricas.

A Euritmia Terapêutica deve ser conduzida por um profissional capacitado, a partir de indicação médica. É uma prática terapêutica complementar do tratamento médico e integra o conjunto de facetas da Medicina Antroposófica.

(*) Em 8/11/10 o nome "euritmia curativa" foi alterado para "euritmia terapêutica".

Interações do Leitor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *