DIETÉTICA CHINESA

Por Marie Courtneau

Em https://www.annuaire-therapeutes.com/index-des-disciplines

Dietética chinesa: gastronomia e arte de saúde milenar

A dietética chinesa é uma das gastronomias mais antigas do mundo mas também, e sobretudo, uma abordagem dietética única e que é parte integrante da Medicina Tradicional Chinesa (um dos cinco pilares desta medicina juntamente com a acupunctura, fitoterapia, exercício moderado: Qi-gong, Tai chi, massagem Tui-na e Meditação).

Os conselhos dietéticos têm um lugar de destaque na Medicina Chinesa, sendo o primeiro texto conhecido Os Princípios de Medicina Interna do Imperador Amarelo. Esta obra, datada de há cerca de 2500 anos, refere já “o método de tratamento pela bebida e pela alimentação”. Mais tarde, tratados completos dedicados à dietética chinesa são difundidos. Entre os grandes médicos chineses, alguns eram “Médicos dos alimentos” e consideravam a dietética como o primeiro cuidado de saúde a aplicar aos doentes. Acupunctura e plantas só intervinham como segundo recurso.

Finalmente, por volta dos séc. XIII e XIV, os grandes princípios da dietética chinesa foram codificados nas “Regras de Higiene Alimentar” que incluíam nomeadamente princípios de confecção, receitas terapêuticas assim como uma lista de alimentos a evitar. A ideia geral é adoptar uma alimentação que permita simultaneamente sustentar e reforçar a nossa constituição e, escolher alimentos adequados para combater a doença. Hoje em dia a dietética chinesa beneficia de vários milhares de anos de prática.

Apoiando-se nos mesmos princípios que a medicina chinesa, a dietética chinesa definiu os alimentos de acordo com a lei do yin/yang e de acordo com a sua natureza (fresco, frio, morno, quente e neutro), os seus sabores (picante, doce, ácido, amargo, salgado), a sua forma, cores, consistência e graus de hidratação e as suas afinidades com os órgãos do corpo. As preparações, corte e confecção estão igualmente bem descritos.

Na prática, uma refeição sã prepara-se em função dos alimentos, mas também do quadro pessoal, o ambiente, o clima, a estação do ano, a hora da refeição e a pessoa (idade, terreno, peso, patologias, gostos). Se o seu baço (que gere a digestão segundo a medicina tradicional chinesa) estiver mais Yin, convém escolher alimentos mais yang (mornos, quentes) e vice-versa. É também aconselhado equilibrar os sabores em cada refeição e não abusar de um ou vários deles. Por exemplo, se tem tendência a comer sobretudo sabores doces, demasiado ácidos e salgados e insuficientes amargos ou neutros, pense em introduzir estes últimos tipos de alimentos no seu prato. Por fim, é também importante, a vitalidade dos alimentos (frescura, modo de cultivo, tipo de confecção, transformação...)

Porquê e para quem?

A dietética chinesa é simultaneamente uma arte de viver, uma forma de prevenção e, um cuidado de saúde complementar a tratamentos ou a outras abordagens terapêuticas.

A consulta

O aconselhamento dietético chinês está integrado numa consulta completa e global e inclui previamente um diagnóstico segundo a medicina tradicional chinesa. Antes da consulta precise que deseja conselhos dietéticos, uma vez que se trata de uma abordagem específica dentro da medicina tradicional chinesa.

Interações do Leitor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *