AYURVEDA

Por Lucile de La Reberdière

Em https://www.annuaire-therapeutes.com/index-des-disciplines

Viver em equilíbrio consigo mesmo

Medicina da Índia antiga, a ayurveda está entre os sistemas terapêuticos mais antigos e mais completos do mundo. Desenvolvida há mais de 5000 anos, este saber ancestral responde hoje às preocupações de saúde actuais. A OMS (Organização Mundial de Saúde) reconhece aliás a ayurveda como um verdadeiro “método de tratamento” desde 1982. Medicina tradicional e filosofia significam em sânscrito “ciência da vida”.

Uma sessão para quem e para quê?

A ayurveda tem em conta o carácter único de cada indivíduo. Na qualidade de abordagem holística, trata o ser humano na sua globalidade, ligando a saúde do corpo à do espírito e inversamente. A ayurveda assenta no equilíbrio de três energias fundamentais chamadas “doshas”: vâta, pitta e kâpha. A sua repartição na pessoa vai determinar-lhe a constituição.

É normal que uma das três doshas prevaleça sobre as outras. Elas são determinadas por factores fisiológicos (idade, morfologia, tipo de pele, psiquismo) e por factores externos (ambiente, meio envolvente, profissão). Por exemplo, uma pessoa é considerada “Kapha” quando é corpulenta, a digestão tende a ser lenta e tem dificuldade em mudar de vida. Uma pessoa dinâmica, que ocupa um lugar de gestor, que se enerva facilmente e sofre de inflamação intestinal será sobretudo “Pitta”. As pessoas “Vata” são sobretudo cerebrais, sonhadoras, mesmo “cabeças na lua”, muito magras, de natureza stressada e com tendência para estar sempre a comer qualquer coisa.

Cada uma delas integra também as outras duas doshas, em proporção menor. Este tripé energético está submetido a um equilíbrio instável, flutuante ao longo de toda a vida. A ayurveda estabelece um diagnóstico e procura reequilibrar as três doshas com base na constituição do paciente. É a proporção equilibrada das doshas que permite evitar a doença.

Trata-se sobretudo de uma medicina preventiva.

Algumas informações úteis sobre uma sessão

A ayurveda reserva um lugar central à alimentação. Para esta medicina, são as escolhas desapropriadas de alimentos que causam doença. Os medicamentos não são úteis se a alimentação não for equilibrada.

Em função da constituição de cada um, a ayurveda propõe uma dietética que participa no regresso ao equilíbrio, a um melhor bem-estar e à manutenção da saúde. A ayurveda favorece os elementos ditos “puros” porque alimentam o corpo e purificam o espírito (frutos, legumes, cereais completos). Doseia de forma personalizada os alimentos que alimentam o corpo mas “apagam” o mental (carne, ovos, queijo, café, especiarias) e retira o álcool ou os alimentos fermentados.

A ayurveda preocupa-se também com a higiene do corpo através das massagens. O terapeuta aplica diferentes massagens tradicionais.

A massagem Shirodhara, que inclui deixar correr um fio de óleo tépido na testa é indicada para apaziguar um mental agitado. Basti é um tratamento localizado, com o auxílio duma massa de farinha de grão, para trabalhar zonas dolorosas. A técnica Nadi Swedana é uma aplicação local de vapor adaptada a problemas de articulações. A cura Panchakarma, por seu lado, é um processo de purificação completo, recomendado para desintoxicar o corpo nas mudanças de estação.

A paleta de cuidados ayurveda é muito lata, e pode incluir também a prática do yoga e do pensamento positivo. Esses cuidados são dispensados no quadro de um acompanhamento personalizado.

Interações do Leitor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *