ANÁLISE TRANSACIONAL

Por Lucile de La Reberdière

Em https://www.annuaire-therapeutes.com/index-des-disciplines

Criança/Filho(a), Pai/Mãe, Adulto: descobrir a sua plataforma emocional

Trabalho terapêutico efectuado por meio da palavra, esta análise psicológica permite a tomada de consciência dos seus esquemas de funcionamento e a forma como influenciam as relações no trabalho, em família, no casal ou com novas pessoas.

Uma sessão com um praticante em análise transaccional: para quem, para quê?

Desenvolvida pelo psiquiatra Eric Berne em 1958, a análise transaccional admite a existência de três estados do eu. Estes exprimem-se de forma diferente nos intercâmbios com os outros, denominados "transacções". Encontramos a condição de criança/filho, a condição de Pai/Mãe e a condição de Adulto. Todos coexistem no indivíduo mas apresentam-se em diferentes momentos em função das situações sociais.

A criança/o(a) filho(a) é a sede das sensações e das motivações de vida. O/A) Pai/Mãe representa a interiorização das regras e caracteriza-se pela crítica, o julgamento moral ou atitudes protectoras. O adulto encarna a análise, a avaliação racional das situações e a tomada de decisão. A análise transaccional consiste em decifrar o modo dominante de funcionamento da pessoa.

A técnica permite utilizar, no quotidiano, as suas diferentes facetas. Ajuda a criança interior a viver melhor com as feridas interiores. Permite estruturar um comportamento de adulto e de desenvolver o pai ou a mãe positivo(a) em si. Método de conhecimento de si mesmo e de transformação pessoal, a análise transaccional oferece uma exploração dinâmica e lúdica que se complementa bem com outros utensílios como a terapia familiar ou as constelações. A análise transaccional é interessante com pessoas que sofrem impasses nas relações devido a uma falta de confiança em si, uma dificuldade em encontrar o seu lugar na vida, jogos de poder, timidez ou agressividade.

Algumas informações úteis sobre uma sessão

Na consulta, o praticante em análise transaccional utiliza conceitos como os jogos psicológicos, a passividade ou o cenário de vida a fim de estabelecer com a pessoa o sistema de valores desta última e de compreender como é que ela comunica as suas emoções em função das situações.

Esta terapia que exige várias sessões, geralmente periódicas, leva progressivamente a agir, raciocinar e discernir em função de si e não em função dos outros. A análise transaccional encontra também o seu lugar nas empresas para apoiar as dinâmicas de grupo ou neutralizar os conflitos na organização. O número de sessões necessárias e o preço variam de terapeuta a terapeuta e são definidos caso a caso. Existem várias formações privadas para ensinar esta técnica que terminam com a entrega duma certificação e do nível atingido.

Interações do Leitor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *