ACUPUNCTURA

Por Paulo Gouveia

O princípio

Segundo a filosofia Chinesa, o Universo é um organismo vivo e dinâmico, constituído por uma Energia Cósmica primordial da qual emanam todas as coisas. O Ser Humano representa toda essa complexidade energética submetendo-se às mesmas leis que regem a Natureza. Dentro desta concepção, o corpo humano não contém energia, ele é essa energia e esse dinamismo. Esta Energia, vulgarmente designada por "Chi", manifesta-se por polaridades opostas e complementares: a componente - yang (princípio de expansão, actividade, calor, luz) e a componente yin (princípio de contracção, inércia, frio, escuridão). O equilíbrio dinâmico entre estas duas polaridades traduz-se no ser humano por uma situação de bem-estar global (mental, emocional e físico), permitindo-lhe uma melhor adaptação e integração no seu meio.

Aspectos históricos

Aplicada há vários milénios, não é possível precisar a origem da acupunctura que se perde nos confins dos tempos. Sabe-se, contudo, que é fruto da civilização chinesa e que os seus princípios fundamentais foram traduzidos para linguagem escrita entre os séc. X e XVI A.C., num texto, o "Nei Jing", que é, ainda hoje, considerado um dos seus pilares.

Coadjuvada pelas técnicas de moxibustão, ventosas e digitopunctura, a acupunctura é, provavelmente, a disciplina mais forte da medicina tradicional chinesa, a qual inclui também os exercícios de Chi kung, a Fitoterapia, as massagens de Tui Na, a nutrição e outras menos presentes no Ocidente, como a Astrologia e Germânica.

Presentemente, está divulgada em quase todos os países do Mundo que lhe reconhecem valor terapêutico. A própria OMS (Organização Mundial de Saúde) a descreve como eficaz em inúmeras situações patológicas.

Como actua

A acupunctura assenta no princípio de que, além da estrutura orgânica, qualquer organismo vivo dispõe de uma estrutura energética que atinge a sua complexidade máxima no ser humano, para o qual estão definidos e localizados trajectos internos e externos de fluxos de energia com funções específicas nos três níveis do ser (mental, emocional e físico).

Todas as doenças, exceptuando os traumatismos e outras de causa externa, começam por afectar a estrutura energética e só posteriormente atingem a estrutura orgânica, apresentando, cada uma destas fases, expressão sintomatológica característica. Daqui se conclui que é possível e desejável diagnosticar a doença no primeiro estádio (energético) pois o seu tratamento é mais facilmente conseguido. No segundo estádio da doença (orgânico) o tratamento pode depender, além da acupunctura, da fitoterapia e das outras técnicas coadjuvantes.

Acupunctura Sintomática ou Tradicional

A acupunctura pode ser utilizada de diversos modos, mas que se resumem, basicamente, a dois: acção sintomática e acção tradicional pelo factor causal. A primeira apenas permite tratar o sintoma e se por vezes é imperioso que isso se faça, na maioria das situações esta actuação é perniciosa pois, além de não considerar a pessoa no seu todo global, o diagnóstico e o consequente tratamento causal não são tidos em consideração. É nesse aspecto que a abordagem tradicional manifesta a sua superioridade, ao permitir isolar o factor causal e estabelecer uma intervenção terapêutica coerente.

Indicações da Acupunctura

Na China antiga a acupunctura era utilizada, preferencialmente, na prevenção da doença, sendo na actualidade mais procurada na fase da manifestação de sintomas orgânicos. No Ocidente, o aspecto preventivo tem tido pouca divulgação em consequência do que se recorre quase exclusivamente à acupunctura nas fases tardias da doença e, apesar das desvantagens daí inerentes, o seu incremento é um fenómeno surpreendente que só pode ser explicado pelos resultados obtidos.

A acupunctura está indicada em todas as áreas da saúde, sendo a área osteo-articular a que tem mais procura. É eficaz também noutras doenças como a depressão, a ansiedade, o stress, a gastrite, a obstipação, a asma, a sinusite, os reumatismos, a enxaqueca, a dismenorreia, a hipo/hipertensão, a diabetes, bem como todas as disfunções orgânicas que se manifestam no Homem. 

Interações do Leitor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *